Você pode viver com HIV sem saber. Estes são os sintomas mais importantes

As mais clicadas do dia 04/12/2020 Relatar Quero comentar

Nos últimos meses o mundo parou por conta da pandemia do coronavírus. Entretanto, outros vírus perigosos devem ganhar nossa atenção, como é o caso do HIV. Apesar de que já existirem tratamentos extremamente eficientes, ainda não se existe a cura. Porém é possível ter uma vida saudável mesmo portando o vírus.

O HIV é o vírus mais perigoso do mundo e segundo especialistas, é o que mais matou também. Desde que foi descoberto, no início da decáda de 80, ele já fez milhões de vítimas. O principal problema é que logo após a contaminação, o portador apresenta sintomas que lembram uma gripe, o que não desperta o interesse das pessoas de procurarem um médico. Os sintomas do HIV variam de corpo a corpo. Em algumas pessoas chega a demorar até décadas para se manifestar. O principal contágio, atualmente, é através de relações sexuais sem preservativo.


Um dos três principais sintomas do HIV é a febre, que pode atingir até 38 graus. Junto com a febre, surge cansaço extremo e sensação de fraqueza, além da dor de cabeça. O que serve pra diferenciar uma febre por conta de infecção do HIV de uma febre de gripe normal é a presença de dores musculares e nas articulações, que raramente existe no vírus da gripe.

Erupções na pele podem aparecer logo que se é contaminado pelo vírus HIV. Caso você tenha apresentado, juntamente com febre ou sintomas de gripe, procure imediatamente um centro de saúde. Se aparecer diarréia, nauseas e tonturas, associado a todos esses sintomas anteriores é um sinal de que já passou da hora de você procurar um médico e fazer o teste. Significa que seu sistema imunológico já está sendo atacado e se não correr, pode-se desenvover a AIDS, que é quando o vírus torna-se, de fato, uma doença.

Outros sintomas como tosse seca incessante e perda de peso brusca também são sintomas.

Vale lembrar que a única certeza se o indivíduo é portador ou não do vírus é procurando um local específico e fazendo os testes. Para evitar a contaminação, evite relações sem preservativo, utilizar agulhas e seringas já utilizadas pro outra pessoa. 

Gostou da matéria? Compartilhe o texto com amigos e familiares.

Comentário do usuário