História de terror baseado em fatos reais

ricardo102030 14/12/2020 Relatar Quero comentar

1. A assombração horripilante:

"Quando eu era mais novo, trabalhei como entregador de jornais e fazia entregas para uma senhora chamada Margie. Ela era muito velha e vivia só, por isso eu entrava em sua casa para entregar o jornal e ver como ela estava. Certo dia, entrei e vi que ela estava dormindo na cama. Deixei o jornal sobre a mesa e saí. No dia seguinte, ela também estava dormindo quando cheguei, e o jornal do dia anterior ainda estava intocado na mesa. Um dia depois, entrei e Margie estava acordada. Ela disse que estava muito feliz e me abraçou. Mas na manhã seguinte, havia carros parados na frente da casa dela. Aparentemente, Margie tinha morrido em sua cama, três ou quatro dias antes. Sabe-se lá como eu falei com ela e a abracei no dia anterior, quando já estava morta."

2. O lanche arrepiante:

"Eu trabalhava em um hospital e fazia muitos plantões noturnos. Por volta de três da manhã, fui até uma máquina automática de venda pegar um lanche. Havia uma porta ao lado da máquina com uma janela que dava para a cafeteria. Vi nitidamente alguém passar pela porta. Depois de um minuto lembrei-me que a cafeteria tinha luzes com sensor de movimentos que deveriam estar acesas, mas tudo continuava escuro lá dentro. Cheguei mais perto para dar um olhada e percebi que, pela direção tomada pelo vulto, ele havia atravessado uma parede. Nunca corri tão rápido em minha vida."

3. O espírito afetuoso:

"Minha mãe conta a seguinte história: certa noite, quando eu era bebê, estava chorosa e ela veio até o berço verificar se estava tudo bem. Isso se repetiu várias vezes, minha mãe já estava ficando cansada. Comecei a chorar outra vez, ela se levantou e foi em direção ao meu quarto, mas ouviu passos e se assustou, já que era a única pessoa na casa. Ela ficou sentada em silêncio durante alguns segundos, até não ouvir mais os passos. Quando os passos pararam, ela ouviu meu berço balançar e algo que parecia ser a voz de uma senhora, falando comigo e tentando me acalmar. Muito assustador."

             

4. A conversa premonitória:

"Na última semana de vida da minha avó, ela ficava olhando para o nada e conversava com os parentes mortos. Por exemplo, ela conversava com sua irmã falecida e dizia coisas como: "Tudo bem, Rose. Chego aí em breve." Percebemos que ela fazia isso apenas com os parentes já mortos, por isso achamos estranho quando ela começou a conversar com seu irmão que ainda estava vivo. Ou assim achávamos! Recebemos uma ligação mais tarde no mesmo dia avisando que ele havia acabado de morrer."

5. A enfermeira evanescente:

"Quando eu tinha seis anos de idade, uma colega de trabalho da minha mãe que era muito amiga sua faleceu (ela era enfermeira). Mais tarde, nesse mesmo dia, acordei e notei que havia adormecido na cama da minha mãe. Quando olhei para minha mãe, vi uma mulher em pé ao seu lado, como se estivesse aplicando alguma medicação em uma bolsa intravenosa. Eu nunca havia visto aquela mulher, mas ela olhou para mim, sorriu, saiu pelo corredor e desapareceu. Alguns dias depois disso, minha mãe voltou do funeral e me mostrou uma imagem da sua colega de trabalho. Era a mesma mulher que eu havia visto naquela noite no quarto."

                  

6. O fantasma que não curtia um som:

"Eu trabalhava em um McDonald's, no plantão noturno, e havia um aparelho de som que ficava no balcão na frente da lanchonete. Estávamos eu e mais dois funcionários lavando os pratos nos fundos quando, subitamente, ouvimos um barulho. Vimos o som jogado no chão e desligado, mas não havia mais ninguém na lanchonete. O som estava posicionado direitinho no balcão, então não poderia ter simplesmente caído. Fomos verificar as imagens na câmera de segurança e vimos que o som, do nada, VOOU DO BALCÃO. Provavelmente foi a coisa mais assustadora que já vi, e a única explicação que me vem à cabeça é que isso foi obra de um fantasma."

Comentário do usuário
Você pode gostar